/ Novembro 20, 2017/ Notícias/ 0 comments

Idosos que jogam determinados tipos de videojogos possuem 29% menos risco de desenvolver demência, a manter as suas capacidades cognitivas por mais tempo.”

 

Essa foi a conclusão que chegaram através de um estudo realizado pela National Institutes of Health (NIH). Os testes foram realizados em 2800 idosos, com idade média de 74 anos, onde foi utilizado um exercício de treino cerebral de “múltipla decisão” desenvolvido pela Posit Science.

Os idosos foram então divididos em quatro grupos, sendo que o primeiro foi pedido que fizesse um exercício onde teria de olhar fixamente para um objeto no centro do ecrã, e então teriam de clicar num objeto que surgisse num canto do ecrã.

A medida que os idosos iam progredindo do exercício, esse ia ficando mais rápido e mais complexo. Com isso é possível testar as habilidades como perceção, capacidade em tomar decisões e memória.

O primeiro grupo fez o exercício através de um computador, o segundo através de exercícios de memoria tradicional. O terceiro foi submetido a testes de raciocínio aleatórios enquanto que o quarto grupo não passou por nenhum teste.

O estudo foi publicado na revista cientifica Alzheimer’s and Dementia: Translational Research and Clinical Interventions, e apesar de jogos desse tipo estarem a tornar-se cada vez mais comum, até então nunca tinha havido um estudo com validação cientifica sobre o caso.

Demência é o termo utilizado para descrever os sintomas de um grupo alargado de doenças que causam um declínio progressivo no funcionamento da pessoa. É um termo abrangente que descreve a perda de memória, capacidade intelectual, raciocínio, competências sociais e alterações das reações emocionais normais.

Fonte Artigo:

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>
*
*